Promotor armado persegue médico na Barra

Do blogue de Décio Sá

O médico Jerônimo Ferry registrou queixa nesta terça-feira na Delegacia de Barra do Corda acusando o promotor Guaracy Martins Figueiredo de ameaça Segundo a ocorrência, o médico estava no final da tarde desta segunda-feira no Supermercado São João, em frente ao bar Entre Rios, onde o promotor bebia. Quando Jerônimo deixou o supermercado começou a ser perseguido de carro pelo representante do Ministério Público. Ele levava uma arma em cima do banco do passageiro. Durante protesto contra Nenzim, moradores denunciaram promotor. O médico entrou em várias ruas para fugir da perseguição, sem sucesso. Foi perseguido durante uns 40 minutos. Desesperado, ligou do celular para vários amigos e a polícia informando o que estava acontecendo. Resolveu parar em frente ao prédio da prefeitura. O promotor parou ao lado, baixou o vidro do carro e ficou “encarando” o adversário. Foi quando a turma do deixa-disso entrou em ação. O engenheiro Luizinho da Cemar, preso na Operação Astiages, foi um dos primeiros a chegar e tomou o revólver de Guaracy. “Ele partiu para cima de mim morto de bêbado. Quase arranca a minha unha querendo retomar o revólver. O homem estava doido”, disse ao blog. Segundo a polícia, é a terceira vez que o promotor ameaça o médico. Nenhuma das partes confirma, mas a confusão começou porque Jerônimo teria “investido” certa vez na mulher de Guaracy, a agente comunitária de saúde Anne Chaves Trajano. Ele nega.”Não sei o que ele tem contra mim. Não falo o nome dele e evito até passar ao lado desse promotor. Ele tem os problemas dele e eu não tenho nada com isso. Ele é meio nervoso. O Guaracy está me perseguindo”, afirmou. O médico disse não querer dar publicidade ao fato com receio de futuras represálias por parte do rival. “Quanto mais mexe, mas complica para meu lado”, acredita. Além da ocorrência, já enviada ao secretário Aluísio Mendes (Segurança), Jerônimo pretende denunciar Guaracy na Corregedoria do Ministério Público. Em conversa rápida com o blog – ele informou que estava na estrada – o promotor negou as acusações. “É mentira. Eu nem falei com  ele. Nós passamos na mesma rua e eu parei para falar com o Luizinho”, desconversou.

Histórico

O comportamento e as atitudes de Guaracy Figueiredo têm sido alvos de críticas em Barra do Corda.  No final de março (reveja), cerca de três mil pessoas que pediam o afastamento do prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim (PV), protocolou documento pedindo ainda a suspeição do promotor por conta de sua “parcialidade” e “morosidade” nos processos envolvendo o político. A mulher dele também é acusada de integrar o “trem alegria”  de um concurso fradudulento realizado pela Prefeitura de Barra do Corda. Ela foi “aprovada” para o cargo de professora. O concurso foi anulado pelo próprio Nenzim, mas validado pela Justiça do Trabalho na cidade. O promotor é irmão da ouvidora-geral do Ministério Público, Iracy Martins Figueiredo Aguiar, que também é alvo de denúncia interna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade
Arquivos do blog